Horário de atenção

de segunda a sexta-feira

das 9:00h às 13:00h e

das 14:00h às 18:00h

 

Tel: +351 256 109 139

Tel: +351 300 500 455

 

Últimos tweets

Como adaptar o dimensionamento da nossa instalação #fotovoltaica à natureza dos consumos da nossa habitação, negóci… https://t.co/rjLw0qCxvU
Jannis Drixler aterrou em Picanya (Valência) em outubro de 2017, depois de quase dois anos na central alemã. Desde… https://t.co/LXZrOlESm4
Em 24 de julho, inscreva-se no webinar sobre o funcionamento e a utilização da plataforma Fronius SOS (Fronius Onli… https://t.co/Wyg4YkT3Qi
A GoodWePower é o único fabricante de inversores que venceu o prémio TÜV Rheinland "All Quality Matters" cinco ano… https://t.co/Shzy0ft1Qy

O autoconsumo fotovoltaico e a gastronomia lusa unem-se

10-03-2016
Uma instalação solar de 43kW foi ligada no restaurante Taínha

Autoconsumo fotovoltaico no restaurante Taínha

Instalação fotovoltaica no restaurante Taínha

O autoconsumo fotovoltaico com venda de excedentes, aprovado há cerca de um ano e meio pelo Conselho de Ministros português, assume cada vez mais força em Portugal e entra cada vez mais no sector da hotelaria e restauração. O restaurante Taínha, um dos maiores e mais antigos no norte do país, uniu-se recentemente à lista de adeptos do autoconsumo. Foi a Sinersol, empresa instaladora especializada em energías renováveis e cliente da Krannich Solar há largos anos, quem explicou aos proprietários do local os inúmeros beneficios da energía fotovoltaica. O resultado desta conversa é a instalação solar de 43kW que o estabelecimento exibe sobre os seus telhados.

 

A empresa fotovoltaica Sinersol realizou uma detalhada análise dos consumos energéticos do restaurante para conceber o projecto, tendo em conta varias inclinações e orientações dos telhados com o objectivo de aproveitar ao máximo a radiação solar de 1.391Wh/m2. Graças ao óptimo dimensionamento, o sistema fotovoltaico produzirá cerca de 60MWh de eletricidade limpa por ano, energia equivalente ao consumo anual de 35 lares lusos. Além disso, o restaurante evitará a emissão de 58,4 toneladas de dióxido de carbono, se a comparamos com a produção de carvão. Mesmo assim, a poupança económica na factura da eletricidade do restaurante alcançará os 10.000€ anuais, o que garante a amortização do investimento em aproximadamente cinco anos.

 

A energia verde do Taínha é produzida por 172 painéis fotovoltaicos policristalinos da Luxor Solar fixos com as estruturas de montagem da K2 Systems – duas marcas que a Krannich Solar comercializa em condições exclusivas– e convertida em corrente alternada por 2 inversores solares SMA, também fornecidos pela distribuidora alemã. Os painéis solares Luxor EcoLine 60/250W oferecem uma tolerência positiva de 6,5Wp assim como uma eficiência que supera os 15% e, além disso, possuem um excelente rendimento, inclusive em condições de baixa luminosidade. Os inversores fotovoltaicos do sistema são os STP20000TL-30 com a máxima eficiência de mais de 98% que, graças ao seguidor do ponto de máxima potência OptiTrac, se adaptam às condições externas. 

 

O restaurante, localizado em Vila Nova de Gaia, desde há 36 anos é especialista na gastronomia típica portuguesa elaborando deliciosos pratos de carne e peixe para até 900 visitantes. Desde sempre, os chefs do Taínha se preocuparam por preservar os sabores da sua terra apostando por produtos locais da mais alta qualidade. Por isso o restaurante foi destinguido durante 3 anos consecutivos com o estatuto PME excelência da Agência para a Competitividade e Inovação. A instalação fotovoltaica ligada nos telhados do estabelecimento integra de forma orgânica a filosofia do restaurante, pois a partir de agora toda a energía elétrica consumida no Taínha também é local e de uma excelente qualidade.

 

O sector da hotelaria sai especialmente beneficiado por se converter em unidade de produção para autoconsumo (UPAC), pois as suas curvas de consumo eléctrico são constantes ao longo de toda a semana. Ivo Pinheiro da empresa portuense Sinersol afirma: “Queremos desafiar todos os profissionais da hotelaria para que se juntem ao autoconsumo para aumentar a qualidade da sua energía e, também, reduzir a sua conta da eletricidade.”